terça-feira, 23 de novembro de 2010

Revolta da vacina


A revolta aconteceu por causa
que o governo obrigou a vacinação causando
um tipo de constragimento na população.
POSTADO POR : MARIANA ABREU
AUTORA:MARIANA ABREU

Guerra de canudos

Começou por causa da fome e condiçoes precarias do Nordeste , líderado por Antônio Conselheiro ele tinha o ideal de libertar o povo da fome e miséria ,as terras eram dos coronéis por isso a revolta aconteceu.

Até que Artur Costa, apoderarau-se de Canudos e promoveu um terrível massacre, no qual muita gente inocente morreu, principalmente idosos e crianças, que só buscavam uma melhor qualidade de vida. A Comunidade de Canudos foi arrasada no dia 05 de outubro de 1897, entrando para a história como o palco do mais intenso massacre já presenciado na história.

Postado por : Mariana Abreu

Cangaço

Introdução

Entre o final do século XIX e começo do XX (início da República), surgiu, no nordeste brasileiro, grupos de homens armados conhecidos como cangaceiros. Estes grupos apareceram em função, principalmente, das péssimas condições sociais da região nordestina. O latifúndio, que concentrava terra e renda nas mãos dos fazendeiros, deixava as margens da sociedade a maioria da população.

Entendendo o cangaço

Portanto, podemos entender o cangaço como um fenômeno social, caracterizado por atitudes violentas por parte dos cangaceiros. Estes, que andavam em bandos armados, espalhavam o medo pelo sertão nordestino. Promoviam saques a fazendas, atacavam comboios e chegavam a seqüestrar fazendeiros para obtenção de resgates. Aqueles que respeitavam e acatavam as ordens dos cangaceiros não sofriam, pelo contrário, eram muitas vezes ajudados. Esta atitude, fez com que os cangaceiros fossem respeitados e até mesmo admirados por parte da população da época.

Os cangaceiros não moravam em locais fixos. Possuíam uma vida nômade, ou seja, viviam em movimento, indo de uma cidade para outra. Ao chegarem nas cidades pediam recursos e ajuda aos moradores locais. Aos que se recusavam a ajudar o bando, sobrava a violência.

Como não seguiam as leis estabelecidas pelo governo, eram perseguidos constantemente pelos policiais. Usavam roupas e chapéus de couro para protegerem os corpos, durante as fugas, da vegetação cheia de espinhos da caatinga. Além desse recurso da vestimenta, usavam todos os conhecimentos que possuíam sobre o território nordestino (fontes de água, ervas, tipos de solo e vegetação) para fugirem ou obterem esconderijos.

Existiram diversos bandos de cangaceiros. Porém, o mais conhecido e temido da época foi o comandado por Lampião (Virgulino Ferreira da Silva), também conhecido pelo apelido de “Rei do Cangaço”. O bando de Lampião atuou pelo sertão nordestino durante as décadas de 1920 e 1930. Morreu numa emboscada armada por uma volante, junto com a mulher Maria Bonita e outros cangaceiros, em 29 de julho de 1938. Tiveram suas cabeças decepadas e expostas em locais públicos, pois o governo queria assustar e desestimular esta prática na região.

Depois do fim do bando de Lampião, os outros grupos de cangaceiros, já enfraquecidos, foram se desarticulando até terminarem de vez ,no final da década de 1930.

COMENTARIO : Cangaço eram nômades e usavam violencias sendo constantemente perseguidos pelos policias o cangaço surgiu da pessima condiçao social do nordeste , as suas vimenesttas eram roupas e chapeus de couro para sua proteçao e andando fortemente armado causando medo na ´populaçao.

Postado por: Mariana Abreu

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

O Cangaço

Estátuta do cangaceiro na entrada para Fazenda Nova (BR-104)Cangaço foi um fenômeno ocorrido no nordeste brasileiro de meados do século XIX ao início do século XX. O cangaço tem suas origens em questões sociais e fundiárias do Nordeste brasileiro, caracterizando-se por ações violentas de grupos ou indivíduos isolados: assaltavam fazendas, sequestravam coronéis (grandes fazendeiros) e saqueavam comboios e armazéns. Não tinham moradia fixa: viviam perambulando pelo sertão, praticando tais crimes, fugindo e se escondendo.

O Cangaço pode ser dividido em três subgrupos: os que prestavam serviços esporádicos para os latifundiários; os "políticos", expressão de poder dos grandes fazendeiros; e os cangaceiros independentes, com características de banditismo.

Os cangaceiros conheciam a caatinga e o território nordestino muito bem, e por isso, era tão difícil serem capturados pelas autoridades. Estavam sempre preparados para enfrentar todo o tipo de situação. Conheciam as plantas medicinais, as fontes de água, locais com alimento, rotas de fuga e lugares de difícil acesso.

O primeiro bando de cangaceiros que se tem conhecimento foi o de Jesuíno Alves de Melo Calado, "Jesuíno Brilhante", que agiu por volta de 1870. E o último foi de "Corisco" (Cristino Gomes da Silva Cleto), que foi assassinado em 25 de maio de 1940.

O cangaceiro mais famoso foi Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião, também denominado o "Senhor do Sertão" e "O Rei do Cangaço". Atuou durante as décadas de 20 e 30 em praticamente todos os estados do nordeste brasileiro.

Por parte das autoridades, Lampião simbolizava a brutalidade, o mal, uma doença que precisava ser cortada. Para uma parte da população do sertão, ele encarnou valores como a bravura, o heroísmo e o senso da honra.

O cangaço teve o seu fim a partir da decisão do então Presidente da República, Getúlio Vargas, de eliminar todo e qualquer foco de desordem sobre o território nacional. O regime denominado Estado Novo incluiu Lampião e seus cangaceiros na categoria de extremistas. A sentença passou a ser matar todos os cangaceiros que não se rendessem.

No dia 28 de julho de 1938, na localidade de Angicos, no estado de Sergipe, Lampião finalmente foi apanhado em uma emboscada das autoridades, onde foi morto junto com sua mulher, Maria Bonita, e mais nove cangaceiros.

Esta data veio a marcar o final do cangaço, pois, a partir da repercussão da morte de Lampião, os chefes dos outros bandos existentes no nordeste brasileiro vieram a se entregar às autoridades policiais para não serem mortos.

Comentário: Os Cangaceiros eram como se fosse nômades, viviam de cidade em cidade, assaltando e matando gente. O cangaço teve vários outros grupos, mas o seu lider maior era o Lampião, suas caracteristicas eram o bandidismo social, andavam em bando, não tinham moradia fixa, invadiam vilas, entre outras. Eles tinham dois pontos em comum com Canudos que são: Aconteceu no Nordeste e desmonstraram resistência.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Canga%C3%A7o
Postado por: Pedro Julio :]

Revolta de Canudos

A Revolta de Canudos aconteceu na região de Vaza Barris, e seu lider foi o Antônio Conselheiro, os participantes foram os camponeses, pequenos comerciantes, entre outros. O motivo foi porque o Nordeste estava sofrendo de fome, exploração e do coronelismo. Os seus opositores foram os Fazendeiros, Politicos Republicanos e a Igreja Católica. Os motivos são que os Fazendeiros estavam perdendo sua mão-de-obra (Camponeses), a Igreja perdendo seus fieis pro missianismo.

Postado por: Pedro Julio

Vacinar ou não eis a questão




A foto a seguir representa a revolta da vacina, que deixou a população do Rio de Janeiro indignada por a Vacinação ser Obrigatória, essa vacinação obrigatória foi criada por Oswaldo Cruz porque o Rio virou foco de doença.



Postado por: Pedro Julio ;]

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

O que é democracia? ²

Texto: http://www.mulheresnobrasil.org.br/interno.asp?canal=direitoscivispol&id=direitoscivispol

Comentário: No texto mostra como os direitos das mulheres perante a sociedade e a lei foram aprimorados, e assim garantindo a igualdade entre os genêros (masculino e feminino). A constituição implantou novas leis, para permitir que os direitos da mulher fossem consolidados no Brasil. Mas como todos nós sabemos ainda existe na sociedade essa desigualdade, que precisa acabar.

Postado por: Pedro Julio

O que é democracia?

Texto: http://upblogs.net/o-que-e-democracia/

Comentário: No texto fala de onde veio a democracia, que no caso começou em Atenas. E compara a democracia com a ditadura. Na democracia o povo tem direitos iguais perante a lei. Mas não é isso que acontece, pois a parte mais marginalizada da população as vezes não tem os mesmos direitos que outras pessoas, mas algumas coisas mudaram de alguns anos pra cá por exemplo: o direito de ir e vir, de votar, de ter saúde, de liberdade de expressão, de ter educação, etc.

Postado por: Pedro Julio

Contra o Trabalho Escravo

Texto 1: Para o artigo 149 do Código Penal brasileiro, o crime de escravidão é definido como "reduzir alguém a condição análoga à de escravo, quer submetendo-o a trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregador ou preposto". Já a Organização Internacional do Trabalho (OIT), tipifica a prática como "todo trabalho ou serviço exigido de um indivíduo sob ameaça de uma pena qualquer para o qual não se apresentou voluntariamente". Ou seja, na escravidão moderna não há tráfico nem comercialização, como acontecia na época colonial, mas a privação da liberdade continua sendo a principal característica da prática. Luiz Machado, responsável pelo Projeto de Combate ao Trabalho Escravo no Brasil da OIT, acredita que as condições atuais são ainda piores do que as sofridas pelos negros até o século 19, "hoje em dia, o indivíduo é descartável. Se um trabalhador fica doente ou morre, é fácil achar outra pessoa que vai se submeter a isso. Antigamente, os negros podiam ser castigados fisicamente, mas eram bem alimentados, já que um escravo saudável e forte era muito mais valioso".

Texto 2: A assinatura da Lei Áurea, em 13 de maio de 1888, representou o fim do direito de propriedade de uma pessoa sobre a outra, acabando com a possibilidade de possuir legalmente um escravo no Brasil. No entanto, persistiram situações que mantêm o trabalhador sem possibilidade de se desligar de seus patrões. Há fazendeiros que, para realizar derrubadas de matas nativas para formação de pastos, produzir carvão para a indústria siderúrgica, preparar o solo para plantio de sementes, entre outras atividades agropecuárias, contratam mão-de-obra utilizando os contratadores de empreitada, os chamados "gatos". Eles aliciam os trabalhadores, servindo de fachada para que os fazendeiros não sejam responsabilizados pelo crime.

Esses gatos recrutam pessoas em regiões distantes do local da prestação de serviços ou em pensões localizadas nas cidades próximas. Na primeira abordagem, mostram-se agradáveis, portadores de boas oportunidades de trabalho. Oferecem serviço em fazendas, com garantia de salário, de alojamento e comida. Para seduzir o trabalhador, oferecem "adiantamentos" para a família e garantia de transporte gratuito até o local do trabalho.

O transporte é realizado por ônibus em péssimas condições de conservação ou por caminhões improvisados sem qualquer segurança. Ao chegarem ao local do serviço, são surpreendidos com situações completamente diferentes das prometidas. Para começar, o gato lhes informa que já estão devendo. O adiantamento, o transporte e as despesas com alimentação na viagem já foram anotados em um "caderno" de dívidas que ficará de posse do gato. Além disso, o trabalhador percebe que o custo de todos os instrumentos que precisar para o trabalho - foices, facões, motosserras, entre outros - também será anotado no caderno de dívidas, bem como botas, luvas, chapéus e roupas. Finalmente, despesas com os improvisados alojamentos e com a precária alimentação serão anotados, tudo a preço muito acima dos praticados no comércio.

Convém lembrar que as fazendas estão distantes dos locais de comércio mais próximos (o trabalhador é levado para longe de seu local de origem e, portanto, da rede social na qual está incluído. Dessa forma, fica em um estado de permanente fragilidade, sendo dominado com maior facilidade), sendo impossível ao trabalhador não se submeter totalmente a esse sistema de "barracão", imposto pelo gato a mando do fazendeiro ou diretamente pelo fazendeiro.

Se o trabalhador pensar em ir embora, será impedido sob a alegação de que está endividado e de que não poderá sair enquanto não pagar o que deve. Muitas vezes, aqueles que reclamam das condições ou tentam fugir são vítimas de surras. No limite, podem perder a vida.

Fonte: http://www.reporterbrasil.org.br/conteudo.php?id=4 http://revistaescola.abril.com.br/politicas-publicas/legislacao/caracteriza-trabalho-escravo-hoje-469810.shtml
Postado por: Pedro Julio

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Imagens Revolta da Vacina



Fontes:
- Imagem 1: Ciência hoje
- Imagem 2: Escolasphistoria.blogspot.com

Postado por Gabriela Rangel !

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

O Cangaço

Entre o final do século XIX e começo do XX (início da República), surgiu, no nordeste brasileiro, grupos de homens armados conhecidos como cangaceiros. Estes grupos apareceram em função, principalmente, das péssimas condições sociais da região nordestina. O latifúndio, que concentrava terra e renda nas mãos dos fazendeiros, deixava as margens da sociedade a maioria da população. Portanto, podemos entender o cangaço como um fenômeno social, caracterizado por atitudes violentas por parte dos cangaceiros. Estes, que andavam em bandos armados, espalhavam o medo pelo sertão nordestino. Promoviam saques a fazendas, atacavam comboios e chegavam a seqüestrar fazendeiros para obtenção de resgates. Aqueles que respeitavam e acatavam as ordens dos cangaceiros não sofriam, pelo contrário, eram muitas vezes ajudados. Esta atitude, fez com que os cangaceiros fossem respeitados e até mesmo admirados por parte da população da época.
Os cangaceiros não moravam em locais fixos. Possuíam uma vida nômade, ou seja, viviam em movimento, indo de uma cidade para outra. Ao chegarem nas cidades pediam recursos e ajuda aos moradores locais. Aos que se recusavam a ajudar o bando, sobrava a violência.

Comentário:
O cangaço surgiu por causa das más condições daquela época. Como o dinheiro permanecia com os fazendeiros e eles precisavam sobreviver, eles começaram a saquear bancos, e quem não fizesse o que eles queriam, apanhavam, pois eles partiam para a violência. Não concordo, assim como todo mundo, com esse tipo de coisa. Mas é um movimento até que interessante, pois eles queriam chamar atenção e faziam esse tipo de coisa para conseguir seus direitos. Eles andavam sempre em banho (um protejendo o outro) e muitas pessoas tinham medo deles.

Texto por Gabriela Rangel
Postado por Gabriela Rangel ;)

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O que é Democracia?

Significado:

Do grego demo= povo e cracia=governo, ou seja, governo do povo. Democracia é um sistema em que as pessoas de um país podem participar da vida política. Esta participação pode ocorrer através de eleições, plebiscitos e referendos. Dentro de uma democracia, as pessoas possuem liberdade de expressão e manifestações de suas opiniões.

Frase Exemplo:

No Brasil atual existe democracia.

Explicação da frase:

No Brasil, as pessoas podem escolher seus representantes (vereadores, deputados, senadores, prefeitos, governadores e presidente) através do voto nas eleições. Existe liberdade de expressão e os direitos de manifestação são garantidos pela Constituição Brasileira.

Palavras derivadas:

democrático, democratização, democratizar.

COMENTARIO:
Democracia é o direito de ajudar a escolher quem vai comadar o Brasil ,e ninguem pode abrigar as pessoas a votar em um determinado candidato (VOTO FECHADO) enfim é povo q tem o poder soberano.

Comentario e postagem feita por: Mariana Abreu

Texto : http://www.suapesquisa.com/historia/dicionario/democracia.htm

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Democracia

Democracia é um regime de governo em que o poder de tomar importantes decisões políticas está com os cidadãos, direta ou indiretamente, por meio de representantes eleitos — forma mais usual. Uma democracia pode existir num sistema presidencialista ou parlamentarista, republicano ou monarquio.

As Democracias podem ser divididas em diferentes tipos, baseado em um número de distinções. A distinção mais importante acontece entre democracia direta (algumas vezes chamada "democracia pura"), onde o povo expressa a sua vontade por voto direto em cada assunto particular, e a democracia representativa (algumas vezes chamada "democracia indireta"), onde o povo expressa sua vontade através da eleição de representantes que tomam decisões em nome daqueles que os elegeram.

Outros itens importantes na democracia incluem exatamente quem é "o Povo", isto é, quem terá direito ao voto; como proteger os direitos de minorias contra a "tirania da maioria" e qual sistema deve ser usado para a eleição de representantes ou outros executivos.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Democracia

Comentário:

Eu acho a democracia uma coisa muito importante para o avanço do país. Antigamente, muitas pessoas não poderiam nem votar. Hoje, com ela, o voto é secreto e ninguém sabe e quem você vota, só você mesmo. Entre a democracia direta e indireta, prefiro a direita. Pois nela você tem mais segurança e mais "privacidade" para botar sua vontade no voto, sem que ninguém palpite, pois ninguém irá saber. Já na democracia indireta, o candidato sabe quem votou nele. Na democracia indireta, os candidatos também podem forçar as pessoas votarem nele. Eu discordo disso, pois cada pessoa deve ter sua opinião e botá-la em prática!

Comentário feito por: Gabriela Rangel

Postado por: Gabriela Rangel

sábado, 23 de outubro de 2010

Avanços Políticos

Lei da Transprência
A Lei da Transparência
é um dos grandes avanços políticos do Brasil no governo do presidente Lula. A legislação é resultado de um grande trabalho do ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, que sem estardalhaço está fazendo uma revolução no acesso ao gastos do dinheiro público.
[...]
A lei estabelece que qualquer cidadão, partido político, associação ou sindicato pode denunciar ao Tribunal de Contas e ao órgão do Ministério Público o descumprimento das medidas de transparência. A punição em caso de descumprimento é a suspensão de repasses voluntários federais.

Fonte: glaucocortez.com

Comentário
Achei a Lei da Transparência realmente um grande avanço para todos os brasileiros. Há muito pouco tempo atrás as pessoas pagavam seus impostos sem fazer a mínima ideia para onde seus dinheiros estavam indo. Hoje, graças ao governo Lula, essa lei entrou em ação, e quem quer saber para onde vai o dinheiro e onde ele está sendo aplicado, só precisa acessar o site de sua cidade para ver. E ainda qualquer pessoa pode denunciar aos Tribunais de Contas dos estados ou ao Ministério Público o descumprimento da lei.
Comentário por: Gabriela Rangel

Postado por Gabriela Rangel !

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Contra o trabalho escravo

Texto 1
'Lista Suja' do trabalho escravo passa a conter 164 empregadores, diz ministério
Em relação à última atualização, foram incluídos 12 e excluídos dez nomes.
Governo não concede créditos a empregadores que constam do cadastro.


O Ministério do Trabalho divulgou nesta quarta-feira (6) a lista atualizada do Cadastro de Empregadores flagrados explorando mão-de-obra escrava no país. Revisada semestralmente, a relação, conhecida como "Lista Suja", conta com 164 empregadores infratores, entre pessoas físicas e jurídicas.

Em comparação à versão divulgada há seis meses, foram incluídos 12 novos empregadores e excluídos dez nomes. Segundo o ministério, os infratores são, em sua quase totalidade, ligados às atividades agropecuárias. Confira a lista no site do Ministério do Trabalho.

Os empregadores que figuram na “Lista Suja” do ministério foram flagrados submetendo trabalhadores a condições análogas à de escravo. As principais causas de manutenção do nome no cadastro estão relacionadas à não quitação das multas impostas, reincidência na prática do ilícito e ações em trâmite no Poder Judiciário.

O Cadastro de Empregadores flagrados explorando mão-de-obra escrava é encaminhado a diferentes órgãos públicos do país para conhecimento e utilização. Ele serve para barrar a concessão de créditos a empregadores que constam na lista.

Os empregadores flagrados permanecem por no mínimo dois anos no cadastro. Neste período, não podem concorrer a financiamentos públicos. Depois de dois anos da notificação, são excluídos da relação aqueles que tenham corrigido irregularidades identificadas durante inspeção do trabalho e não reincidiram no crime.

Para que o nome seja excluído do Cadastro há a análise de informações obtidas por monitoramento direto e indireto nas propriedades rurais, por meio de investigação no local, informações dos órgãos governamentais e não-)governamentais, além das que são repassadas pela Coordenação Geral de Análise de Recursos da Secretaria de Inspeção do Trabalho (SIT.

Texto 2

Amazônia tem mais da metade dos casos de trabalho escravo, aponta lista oficial
Ministério divulgou relação de empregadores que cometeram esse crime.
Locais onde houve mais libertações também são os mais desmatados.

Iberê Thenório
Do Globo Amazônia, em São Paulo
Tamanho da letra
Amazonia é a região que mais tem problemas de trabalho escravo, indica lista divulgada nesta quarta-feira (6) pelo Ministério do Trabalho e Emprego. Conhecida como “lista suja” do trabalho escravo, a relação traz pessoas e empresas que cometeram esse tipo de crime.

Dos 164 casos enumerados pelo ministério, cem deles (61%) ocorreram em estados que pertencem à Amazônia Legal. O local com mais problemas é o Pará (46 casos), seguido do Maranhão (22 casos) – ambos da Amazônia – e Mato Grosso do Sul (18 casos).



COMENTÁRIO:
O indíce de trabalho escravo é realidade em 2010 , as pessoas acham que lucram com esse tipo e trabalho , mais isso é uma idedia muito ultrapassada para pessoas do seculo XXI.

Postagem : Mariana Abreu

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Regência Trina Progressista

A primeira fase do periodo regencial é chamada de progressista, porque descentralizou o poder.
A Rgência Trina Provisória de 1831 foi criada porque D. PedroII ainda era muito novo para governar, deixando os regentes no poder.
Quando D. Pedro II ficou mais velho foi criada a Regência Permanente, na qual tira os regentes do poder.
As ações da Regência Trina foram: Criaram a Guarda Nacional com o objetivo de conter as agitações, seus lideres eram fazendeiros e tinham a liberdade das províncias, criaram o DF (Distrito Federal) e criaram a Regência Una.
Então com esses três fatos pode-se comprovar que a fase Progressista descentralizou.

Autores: Pedro Julio, Mariaht e Nina.
Postado por: Pedro Julio.

Quadro brasileiro no Período Regencial

Em 1822, o Brasil era um país recém-nascido. Era um território extenso, por isso ficava difícil dar conta de governar todo o país. Já que o norte tinha interesses diferentes e o sul, necessidades diferentes. As tendências eram os interesses ligados a capital e áreas próximas. Com a regência Una permanente, várias revoltas aconteceram. Como a Guerra dos Farrapos e a Revolta dos Malês.

Texto criado por: Gabriela Rangel
☺ ☻ ☺ ☻ ☺ ☻ ☺ ☻ ☺ ☻ ☺ ☻ ☺ ☻

PESQUISA NA INTERNET!

Quem eram os Malês?
Os principais personagens desta revolta foram os negros islâmicos que exerciam atividades livres, conhecidos como negros de ganho (alfaiates, pequenos comerciantes, artesãos e carpinteiros). Apesar de livres, sofriam muita discriminação por serem negros e seguidores do islamismo. Os malês possuiam um nível cultural superior, se comparados aos brasileiros da época: eram bilíngues e alfabetizados em árabe.


Onde ocorreu?
A Revolta dos Malês foi um movimento que ocorreu na cidade de Salvador (província da Bahia) entre os dias 25 e 27 de janeiro de 1835.


O que eles queriam?
Os revoltosos, cerca de 1500, estavam muito insatisfeitos com a escravidão africana, a imposição do catolicismo e com a preconceito contra os negros. Portanto, tinham como objetivo principal à libertação dos escravos. Queriam também acabar com o catolicismo (religião imposta aos africanos desde o momento em que chegavam ao Brasil), o confisco dos bens dos brancos e mulatos e a implantação de uma república islâmica.

Fonte: http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/revolta_dos_males.html
Autor desconhecido

Postado por Gabriela Rangel !

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Regencia Trina






Autor das imagens desconhecido
Postado por Mariana Abreu

Caráter progressista da regência trina

Foi criada a regência trina por causa da abdicação de Dom Pedro I. Depois a guarda nacional, que tinha como objetivo conter as revoltas e beneficiar os fazendeiros. Cada província tinha o corpo da guarda nacional. A trina era descentralizada. Ela tinha leis: O Código do Processo Criminal, que tinha como objetivo satisfazer os poderes. O Código ampliava a autonomia das províncias na aplicação da justiça. Como o objetivo da regência trina era descentralizar, só o fato de ser uma 'trina', já fazia isso. Depois, foi criado o Ato adicional, que queria emendar a Constituição de 1824, dando autonomia para as províncias, para poderem pedir empréstimos, gerenciar seus próprios lucros e ter sua própria Assembléia Legislativa.

Texto criado por: Gabriela Rangel e Gabriela Rodrigues

Visite o Blog da Gente [clique aqui]

sábado, 4 de setembro de 2010

Regencia Trina

Em 1831 a regência Trina era provisória,ela se tornou fixa em 1831/1835.
Ela era progressista queria descentralizar,ou seja,legislativo em cima de executivo. Suas ações foram:
A guarda Nacional que tinha como objetivo conter as agitações ,os líderes eram os fazendeiros mas um motivo descentralizações (ordem) e cada província tinha um corpo de Guarda Nacional.
Codigo de Processo criminal (justiça) tinha como objetivo satisfazer os poderes, seus líderes eram os fazendeiros, e tinha ampla autonomia (liberdade) as provincias na aplicação da justiça.
Ato Adicional de 1834 tinha como objetivo emendar a constituição de 1824, seus líderes eram fazendeiros, suas caracteristicas foram a liberdade das provincias, ou seja, pedir empréstimos, gerenciar seus lucros eter a assembleia legisloativa, criou o DF e a regência Una (centralizar).
Na regência Trina as elites eram: latifundios, agroexportadores, rural, mão de obra escravas.

Postado por: Mariana Abreu
Ocorreu um erro neste gadget